postimg
Nov 2010 05

O projeto “Parcours”, do qual Bruno Peixoto faz parte, está em desenvolvimento desde maio de 2007 e teve como ponto de partida o Prêmio Estímulo às Artes, da Fundação Clóvis Salgado (MG), através de proposta premiada de montagem de espetáculo de dança, com direção do bailarino Vanilton Lakka, que propôs a transposição da técnica Parkour para a caixa cênica, mais especificamente para o espaço do Galpão Cine Horto, em Belo Horizonte. O espetáculo cumpriu temporada não só no Galpão Cine Horto, mas também foi apresentado no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, além de ter recebido indicações aos Prêmios Usiminas-Sinparc e Sesc-Sated, do Estado de Minas Gerais.

Em setembro do mesmo ano “Parcours” foi novamente premiado, desta vez através do Prêmio Funarte Klauss Vianna de Dança. Intitulado “Parcours – Novos Olhares, Novos Percursos”, o projeto propôs uma segunda etapa do processo, buscando continuidade e abrangência na pesquisa do Parkour como forma artística cênica, através de um ciclo de investigação teórico-prático de aprimoramento artístico, ainda utilizando o Parkour como suporte, mas fazendo o processo inverso, de retorno às ruas, local de nascimento da atividade, criada pelo francês David Belle.

Bruno Peixoto propõe agora uma Residência Artística em Artes Cênicas para dar continuidade à sua pesquisa de investigação do Parkour como modalidade cênica, indo direto à fonte, nos dois países onde a prática é mais difundida e também onde existem diversas experiências relevantes que utilizam o Parkour como linguagem cênica: Inglaterra (Londres) e França (Lisses), onde a modalidade foi criada. A ideia é dar continuidade ao processo de pesquisa do diálogo entre o Parkour e Artes Cênicas.

A residência foi desenhada para que, durante os seis meses de duração, Bruno Peixoto permaneça em contato com as duas instituições pioneiras no Parkour mundial – Parkour Generations e Majestic Force (também conhecidos como Yamakasi) – e seus integrantes, realizando treinamentos, ensaios e oficinas, participando de eventos e apresentações, e se aperfeiçoando como intérprete e artista, tendo como foco a relação e o diálogo entre a técnica do Parkour e as artes, especialmente as performáticas, ou Artes Cênicas.

Participe. Comente.